sábado, 25 de julho de 2009

NÃO ANDEIS ANSIOSOS DE COISA ALGUMA - Pr. Airton Williams

É interessante, mas de tempos em tempos a vida da gente passa por situações complicadas, difíceis e, muitas vezes, dolorosas. As razões para estas épocas são variadas, não existindo uma única explicação. Às vezes, vivemos o tempo da angústia por culpa de nós mesmos, dos nossos pecados, por decisões erradas que tomamos na vida. Além da dor e aflição do momento, ainda temos que conviver com a nossa consciência que nos acusa do erro ou pecado cometido. É uma sensação de frustração, incompetência, ignorância, e tantos outros sentimentos negativos que nos põe para baixo. E se não bastasse tudo isto, é comum encontrarmos aqueles que fazem questão de nos por para baixo, impedindo-nos de reerguer a cabeça; estes, muitas vezes, são os que se diziam nossos amigos, e nos momentos de nossas fraquezas se mostram agentes do inferno fazendo de tudo para nos “sepultarem”.
Há épocas que as coisas desandam por causa da “sorte”, ou melhor, da falta de sorte. Sei que muitos irmãos, em Cristo, dirão que sorte não existe, pois tudo é controlado por Deus, e que Ele é o soberano Senhor de tudo o que existe. Sinceramente, creio em tudo isto, mas não vejo a “sorte” e o “azar” como antagônicos à soberania de Deus, pois foi Ele mesmo que criou leis físicas para reger o universo criado, de tal forma que Ele não precisa dizer ao sol para raiar ou se por diariamente, ele apenas cumpre as leis que Deus, como Criador, criou. Da mesma forma, quando o Senhor fez o homem e a mulher lhes entregou o domínio da criação, tanto em sua cultura como em sua sociedade; e com a entrada do pecado no mundo, tanto a cultura como a sociedade passaram a seguir leis ditadas pelos homens, leis, estas, sujeitas à sorte ou ao azar. Por isso que muitos que fizeram um bom negócio, e ganharam um bom dinheiro, dias antes do Plano Collor, em 1990, tiveram um “azar” tremendo quando investiram o dinheiro no banco. Não foi Deus quem determinou que seria assim; os homens, valendo-se do “mandato cultural” entregue por Deus, na criação, estabeleceram regras que trouxeram azar para milhões de pessoas. Pois bem, muitas épocas difíceis na vida da gente resultam de uma fase ruim mesmo.
Todavia, às vezes as coisas se tornam difíceis, complicadas e dolorosas na vida da gente por culpa de outros que, direta ou indiretamente, nos prejudicam. Vivo esta experiência nestes dias em minha vida. Diretamente, fui afetado pelo atraso de pagamento da faculdade para qual trabalho; há dois meses não sei o que é pagamento; quando ameaçaram me pagar, me deram cheque sem fundo, e decidiram que só me pagarão quando eu voltar de viagem e apresentar o cheque que voltou. No meio disso tudo entra a questão dos compromissos: contas à pagar, despesas da casa (principalmente quando se tem um bebezinho de 7 meses), transporte e etc. Quem já passou por isto sabe do que estou falando. Pois bem, que culpa tenho eu dessa situação? Nenhuma. Fui pego de surpresa. Só eu? Claro que não; os demais professores da faculdade passam pela mesma situação. Culpa de Deus? Também não, pois Ele não é responsável pelas irresponsabilidades dos homens. Então, ira de Deus por alguma coisa que eu tenha feito? Bem, além de estar em paz com minha consciência diante de Deus, eu teria que pensar que, se esta for a razão para esta fase, Deus está irado com todos os professores da faculdade. Ou seja, isto não faz sentido. Esta fase é resultado da culpa e irresponsabilidade de outros.
Pois bem, toda esta fase tem sido um desafio para mim: manter-me sóbrio para lidar com esta situação e prover o necessário para sustento do meu lar. E, ao mesmo tempo, uma oportunidade para crescer na dependência de Deus. Nesta última sexta-feira (24.07.09), saí para caminhar, aqui em Tabira-PE, refletir e orar um pouco sobre isto. Enquanto caminhava declarei a Deus que não aceitaria que tal situação me roubasse a paz e interferisse na minha vida familiar. Foi muito difícil. À noite, ainda irritado com a última conversa com o departamento financeiro da faculdade, fui silente e iracundo nas minhas falas (ainda bem que tenho uma santa mulher, capaz de me compreender e me amar, e me ajudar a encontrar o equilíbrio nestas horas). Passei a noite em claros refletindo e lutando contra esta opressão que a falta de pagamento gera em nossos corações. E foi durante a madrugada que refleti melhor nas palavras de Jesus: “Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir” (Mt 6.25a).
O discurso de Jesus aponta para três verdades que precisamos ter diante de nós e em nossos corações para não sermos consumidos pela ansiedade. Primeiro, a vida é mais importante do que nossas necessidades (“Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes?”). Às vezes, deixamos de viver por causa de nossas preocupações; deixamos de curtir a alegria de estarmos juntos, em família por conta de nossas ansiedades. Ainda que os problemas estejam ali, a vida continuará, ela não vai parar por causa das nossas dificuldades. Então, é melhor “saber viver”, como diz a música, valorizando o que gera vida em nós. Tenho uma linda esposa que todo dia me recebe com um lindo sorriso, um caloroso abraço e um delicioso beijo quando chego do trabalho; ela me deu um filho maravilhoso, que quando me vê abre um sorrisão cativante, apaixonante; agora, estamos em férias (ainda que sem dinheiro, mas estamos em férias), e não é justo que a falta de pagamento roube a alegria de vivermos juntos estes dias. Não precisamos de dinheiro para nos amarmos; não precisamos de dinheiro para sorrirmos, brincarmos, bagunçarmos os cabelos uns dos outros; precisamos, sim um do outro, da vida que Deus nos deu. A vida, em todas as suas manifestações, é o bem mais precioso que Deus nos deu, e às vezes deixamos de viver por conta de ansiedades que, assim como a onda do mar, vão e vem.
Quando Jesus fala de valorizarmos a vida mais do que aquilo que é necessário para vivermos parece estar nos ensinando alguma forma irresponsável de vivermos, mas não é isso, pois em seguida diz: “Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves?” (v.26). Com isto, Jesus me ensina uma segunda lição para lidar com a ansiedade e as adversidades da vida: valemos mais do que tudo que foi criado, e por isso Deus não nos desamparará. O que for necessário para o nosso sustento sempre haverá; é promessa de Deus que o justo jamais mendigará o pão (Sl 37.25). Mas por que deixamos de perceber este cuidado de Deus? Bem, estou em férias, sem dinheiro, mas nos dias que ficamos em Fortaleza-CE, minha mãe, em meio às lutas também (ela também está passando uma fase difícil), não nos deixou faltar o que comer, nem onde morar; agora, em Tabira-PE, minha sogra tem cuidado de nós, em momento algum precisei comprar alguma coisa para comer, e todo dia tenho um colchão gostoso para dormir. Perceba, o que é necessário, não falta, o Senhor sempre nos dá. Se tem quem nos prejudique, também sempre haverá os filhos de Deus que estenderão a mão para nós e cuidarão de nossas vidas.
Isto me lembra uma fase muito difícil que vivi em 2007 (muito mais complicada do que esta que vivo hoje). Por causa dos meus próprios pecados, perdi tudo; se não bastasse, ainda encontrei pastores dispostos a me destruir; como agentes do Diabo, me ignoraram, me abandonaram, me viraram as costa e me difamaram. Pois bem, nesta fase complicada Deus usou um casal para me socorrer: presbítero Sérgio e sua esposa Miriam. Estes irmãos se dedicaram à minha restauração; cuidaram de mim; me sustentaram. Um dia, Sérgio me disse uma coisa que me marcou profundamente: ele me disse que assim como Elias, a quem o Senhor enviava corvos para alimentá-lo, assim o Senhor estava fazendo comigo, suscitando pessoas para cuidarem de mim e não me deixarem morrer. Isto era uma grande verdade. Deus levantou irmãos e irmãs que cuidaram de mim: Carlão e Mari, que me deram uma casa para morar e me alimentaram; pastor Wulmar e Alessandra, filhos na fé, que me acolheram na Igreja Presbiteriana do Núcleo Bandeirante-DF, bem como o Conselho desta Igreja que proveu os primeiros recursos financeiros para que eu pudesse ter o que “vestir”; pastor Hilmar e Mônica, que foram usados por Deus na minha restauração financeira; Marco Aurélio, que num momento singelo me abriu as portas para a faculdade; pastor Ricardo Almeida, que apostou na minha competência teológica e me deu uma carga horária suficiente para viver com minha família; e tantas outras pessoas, que em momentos singelos foram colocados por Deus em minha vida para me sustentar e me fazer ver o quanto Deus me amava e que sua promessa era real.
Sim, o que é necessário nunca nos faltará. A questão é que incluímos no necessário nossos cartões de crédito, a prestação do nosso carro, os restaurantes da vida, as viagens de passeio e tantas outras coisas, que apesar de serem importantes, não são essenciais para a felicidade de ninguém. Sei que sou importante para Deus, e por isso, nada que me seja necessário para viver me faltará. Sei que diariamente haverá o pão nosso de cada dia, e que nem eu, nem minha esposa e nem meu filho deixaremos de ter o que comer, vestir ou onde morar (e olha que acabei de comer um biscoito, algo supérfluo, porém gostoso, que minha sogra comprou).
Por que temos dificuldade de entendermos isto? Porque somos orgulhosos e soberbos; queremos ter o controle de tudo em nossas mãos, e por isso não nos permitimos ser cuidados e amparados por outros. Chamamos a isto de “humilhação”. Humilhação é viver na linha da pobreza, sem ter o que comer, vestir ou onde morar, e isto não conhecemos. Ser cuidado por outro é um privilégio, pois revela o quanto somos amados, além de ser um maravilhoso remédio contra a nossa soberba. Entenda, não estou ensinando ninguém a se escorar nos outros, mas a saber agradecer quando as coisas são difíceis e Deus coloca irmãos e irmãs, família e amigos para nos socorrer.
A última lição de Cristo para nossa ansiedade é que não podemos mudar certas coisas, pois cumprem um tempo determinado. Eu não posso acrescentar “um côvado à minha vida”, eu não posso mudar certas coisas, apenas posso deixar que siga seu curso normal enquanto confio em Deus, confio na verdade de que Ele sabe do que necessito. Quando estamos ansiosos nos vem à mente pensamentos soberbos, sentimentos pecaminosos, como se estas coisas fossem mudar a situação, e não mudarão, pois cumprem uma etapa, um propósito. De hoje, 25.07.09, até o meu retorno para Brasília, 04.08.09 (passarei o aniversário da minha mãe com ela, algo que não faço há anos), tenho exato 10 dias. O que poderei fazer? Brigar com o departamento financeiro da faculdade? Gastar em ligações do celular para tentarem resolver meu problema? (este é o problema de se ter um celular pós-pago, pois mesmo sem dinheiro podemos gastar). Nada disso vai resolver, pois existe um tempo que tem que se cumprir. Eu não posso antecipar nada, não sou Deus, aleluia. Então, o que fazer? Ensinar o coração ansioso a descansar em Deus, pois são os “gentios” que se inquietam com as adversidades; os filhos, confiam no seu Pai.
Isto me fez lembrar a história de um garotinho que viajava sozinho de avião, quando o mesmo passou por uma violenta zona de turbulência. O pânico foi tomando conta dos passageiros; e no meio do alvoroço, a passageira que viajava do lado do garotinho viu que o mesmo continuava tranquilo, jogando seu game eletrônico. Pasma, perguntou à criança: “você não tem medo do avião cair?”, ao que o garotinho lhe respondeu: “Não!”. Impressionada, a mulher lhe perguntou, “por que?” Então, o rapazinho lhe disse: “Não tenho medo, pois o piloto do avião é o meu pai”. É isto que Cristo tenta nos ensinar: há coisas que tem que cumprir o seu tempo, e não podemos interromper isto; porém, quem está no controle do voo é o nosso Pai celeste, e Ele sabe do que necessitamos para vivermos aos dias maus.
É em meio à estas lições que Cristo nos ensina: “buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas cousas vos serão acrescentadas” (Mt 6.33). Ou seja, em vez de nos ocuparmos com o que é passageiro e que cumpre seu tempo, ocupemo-nos com aquilo que é eterno e verdadeiro, o reino de Deus e sua justiça. As demais coisas, serão acrescentadas, no momento certo, na hora certa, após ter nos ensinado a confiar em Deus.
Hoje pela manhã (para ser exato, 12:40), 24.07.09, minha esposa foi me acordar com beijos deliciosos. Naquele momento entendi que não valia à pena perder a “vida” por causa da irresponsabilidade dos outros. Decidi viver cada dia da melhor maneira possível, amando mais minha esposa, retribuindo-lhe o amor e carinho que dela recebo; amando mais o meu filho, brincando mais com ele; amando mais minha sogra, cunhados, amigos, mãe e irmãos, retribuindo com gratidão por cuidarem de mim e de minha família. Hoje, decidi viver melhor com Deus, grato a Ele por me dar tudo o que preciso, e me suprir até do que não preciso. Sinceramente, não vale à pena se “inquietar com o dia de amanhã...basta a cada dia o seu próprio mal” (Mt 6.34).
“Obrigado Senhor porque tu me amas e tens cuidado de mim e de minha família; obrigado por colocares pessoas tão especiais em nossas vidas, agentes do Senhor para o nosso bem. Retribui a cada um com porção dobrada do teu amor e cuidado. Amém.”

12 comentários:

CrerParaVer disse...

Meu caro professor...obrigado pela tua mensagem que me tem ensinado e me confortado o meu coração. Com certeza, nosso Deus Bom e Provedor haverá de fortalecê-lo e supri-lo mais e mais. Aproveite bem o momento (teus parentes, a praia, a cidade)como se não houvesse o amanhã, pois a tua bênção esperada começa com o descanso de teu coração ai onde estás. Deixe Deus te usar e verás. Abração.

Airton Williams disse...

Meu caro irmão, agradeço as palavras. estou curtindo bastante e aprendendo a valorizar abenção da família. não tenho dinheiro para comer um camarão, mas dá pra comprar um cachorro-quente e rir bastante, com muita gratidão a Deus. um forte abraço e que o Senhor dia-a-dia o abençoe a viver a graça da satisfação.

LEONARDO MARQUES disse...

Meu amigo Professor.... Li e refleti sobre seu post, com certeza o nosso Deus nos surpreende a cada dia, enquanto estamos passando por dificuldades,surgem muitas pessoas para se levantar querendo se aproveitar da situação para tirar uma casquinha, mas assim como Deus tem provido na sua vida, vejo o cuidare dEle comigo também. Fico Feliz por sua vida e de sua família. Deus ainda vai te surpreender muito Pastor (Palavra Profética), tu ainda serás muito honrado nessa terra.. Pode contar comigo sempre.
Um Grande Abraço,
Seu amigo e Aluno
Leonardo Marques

Airton Williams disse...

Olá Leo, obrigado pelas palavras. que Deus te abençoe cada vez mais e honre o ministério da Palavra que te conferiu. um forte abraço.

CULTURA CRISTÃ disse...

E ai amigão tudo bem!!
Pude contemplar no texto que você escreveu que Deus tem cuidado muito de ti e de sua família. Não sei se você se lembra quando me disse que o Senhor estava mexendo na estrutura da sua vida? Se lembra?? Acredito piamente que esta recebendo da parte de Deus tudo que Ele pretende para o seu crescimento.

Fui abençoado com a sua reflexão pois, o meu coração esta ansioso por um resultado amanhã relacionado a minha vida profissional. Classifiquei na PMDF e amanhã terei uma decisão importantissima.
Minha alma descansará em Deus!!!

Obrigado!!
Anderson Roldão da Silva

Airton Williams disse...

Anderson, perdoe-me pela demora em responder, pois só agora vi teu comentário. bem, fiquei sabendo pelo Phil que fostes aprovado. Deus seja louvado. espero vê-lo em breve. um forte abraço.

Francisco Hamilton disse...

Caro professor .... que mensagem linda, estou vivendo a mesma situação aqui na minha empresa, e com essa mensagem a minha vida será outra.Como Deus lhe usou para escrever essa mensagem.Sei que ainda verei Deus colocando o Sr. entre os grandes deste pais.Talvez nesse momento o Sr.não tenha um programa na Tv , ou uma agenda de pregação como tantos " outros " tem , mais Deus está lhe usando nessas mensagem para muitas vidas e uma delas sou eu.
Agradeço a Deus por ter sido seu aluno e agora ter a sua amizade.
O melhor de Deus ainda está por vir na sua vida.
Fique na Paz.

Hamilton -DF

Airton Williams disse...

meu caro irmão Hamilton, obrigado pelas sua palavras de incentivo. saiba que foi um prazer ter sido seu professor, pois sempre vi em vc a sinceridade de um coração comprometido com Deus. Deus honrará tua vida e ministério. abraços.

RÓGER disse...

Apesar de estar meio atrasado o comentário, penso que é pertinente. Caro Mestre - a uns Deus convocou para esse míster - tenho me aproximado cada vez mais de seus princípios como intelectual e como irmão de fé. É sempre bom a gente ter com quem trocar conhecimento - ainda que não nos encontremos todo dia ou nos falemos todo dia - porque nos sentimos seguros. É assim que me sinto: seguro em Deus ao ler seu depoimento. Você tem se revelado para mim - e olha que nem te falei antes - como um grande teólogo que pensa a Palavra e ao mesmo tempo vive de maneira simples os ensinamentos do Cristo de Deus. Você tem me feito refletir a cada dia sobre o meu Ministério em Cristo e espero aprender contigo a cada aula que receberei de Deus por seu intemédio. Grande abraço. Deus te abençoe com toda sorte de bençãos nas regiões celestes.

Airton Williams disse...

Meu irmão Roger, suas palavras tocaram meu coração, porque desde o meu chamado procuro conhecer mais de Deus e do seu amor, a fim de vivê-los. sempre tive como referência o sacerdote Esdras, que "havia disposto o coração para buscar a lei do SENHOR, para a cumprir, e para ensinar..." (Ed 7.10). Nem sempre consigo; em muitos momentos pequei feio, caí de forma vergonhosa, mas continei persistindo nesta busca. assim, qd leio depoimentos como o seu, Deus renova o meu coração nesta caminhada. Que o SENHOR te cubra de ricas bênçãos.997

Kellen Cristina disse...

Professor e pastor; só hoje tive o privilégio de ler este texto.Mas não questiono, pois aprendi com o mesmo a respeitar o "tempo"de determinadas coisas.Talvez, se o tivesse feito em um outro momento não teria tido a oportunidade de sentir o bálsamo santo me meu coração a cada palavra lida!Sou grata a Deus por ter tido a oportunidade de conhecê-lo e tenha certeza que aqui em casa estás incluido em nossas orações.Que Deus continue derramando sobre o senhor e sua família as mais ricas sortes de bençãos.

Airton Williams disse...

boa noite Kellen, a paz de Cristo. obrigado pelo comentário e pelo estímulo na jornada da fé. que o Senhor abençoe ricamente a tua casa.