sábado, 19 de julho de 2008

FIRMANDO PROPÓSITOS PARA UMA VIDA DE SHALOM

Shalom é uma palavra hebraica muito usada pelos judeus para desejarem toda sorte bênçãos às pessoas a quem se ama. Todavia, shalom implica diretamente estarmos reconciliados com Deus e com o mundo criado por Ele a fim de melhor aproveitarmos as boas coisas que o Senhor nos ofereceu desde a criação.
Entendermos isto é importante para uma melhor compreensão da dinâmica dos nossos sonhos, anseios e expectativas, pois quaisquer que sejam só encontrarão plena satisfação em um coração que esteja em paz com Deus e com o mundo à sua volta.
Provérbios é um livro que tenta orientar-nos quanto a princípios espirituais que nos permitem viver a graça do shalom de Deus, fazendo-nos sábios em nossa jornada. E um dos temas favoritos do livro é o cuidado que precisamos ter com o nosso coração.
Na maioria das vezes quando a Bíblia adverte para termos cuidado com o nosso coração ela faz referência ao cerne de nossas decisões, ou seja, a vontade onde tudo se processa, nossos impulsos, sentimentos e imaginação. Por isso, o cuidado com o coração é essencial, pois nele se processam todas as nossas decisões morais e espirituais que conduzirão nossa vida e que trarão consigo suas conseqüências.
Partindo deste princípio Provérbios 4.23 primeiro adverte: “ Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração”. Este comentário nos lembra que nosso coração requer cuidados especiais, que precisa ser protegido, pois é suscetível a inúmeras situações que podem enganá-lo e machucá-lo. E uma vez enganado ou machucado o nosso coração nos conduz a um poço profundo de tristeza, amargura e solidão, roubando-nos a alegria de viver.
Guardar o coração implica em cuidado especial, mas também implica em limites. O coração é, por natureza, carente: carente de Deus e carente de alguém com quem compartilhar a jornada da vida. Por isso, nos permitimos, muitas vezes, experimentar coisas novas como uma forma de suprir carências mais profundas dentro de nós, e quando isto é guiado pelo coração inevitavelmente nos machucamos.
Infelizmente nossa sociedade pensa diferente desta orientação bíblica, dizendo-nos que devemos seguir e fazer aquilo que o nosso coração deseja, aquilo que lhe dá prazer. Não percebem que muitas vezes reprimimos nossos impulsos e desejos por sabermos que são maus. Quantas vezes já sentimos vontade de descarregar ira sobre alguém, ou mesmo agredir, como forma de estravasar nossos temores, inseguranças ou mágoas? Todavia, por várias vezes reprimimos tais atos por entendermos que o desejo do coração só nos machucaria mais.
Provérbios 4.23 não nos ensina que nossos corações são nossos guias, antes pelo contrário, nos ensina a guiá-los, orientá-los. Mas tudo isto tem uma preocupação: é do nosso coração que procedem, brotam, as fontes da vida. Assim, o cuidado e os limites devem ser efetivos e claros para que as fontes da vida não sejam contaminadas e poluídas por sentimentos enganosos que nos conduzem a perdição.
Um coração bem cuidado e protegido fará jorrar em nós alegria perene, shalom de Deus que nos conduzirá em paz com o nosso próprio Criador e com o mundo que Ele criou para sua glória e o nosso próprio bem. Todavia, como cuidar bem do coração e protegê-lo das ciladas da vida? Pensemos sobre isto na próxima reflexão, com a graça de Deus. Por hoje nos basta pedir: “Cria em mim, oh Deus, um coração puro e renova dentro em mim um espírito inabalável” (Sl 51.10), para que minha vida seja uma vida de shalom

Um comentário:

SUSARTE disse...

Airton, parabéns por sua iniciativa, já estavamos anciosos por este blog, que hora nos oferecer reflexões profundas quanto ao conteúdo bíblico. Desejo a vc. Graça de Deus em sua vida e muita sabedoria. Rinaldo Susarte